O sal mineral selénio é essencial para o nosso sistema imunitário e para a glândula tiroide. Uma deficiência, tal como um excesso dum sal mineral, é prejudicial à nossa saúde.

Um mineral para o sistema imunológico e nervoso

O selénio é um sal mineral versátil que é essencial para o nosso sistema imunológico e para a glândula tiroide. Uma deficiência, tal como um excesso dum sal mineral, é prejudicial à nossa saúde. Uma só castanha do Brasil por dia pode proporcionar-lhe a quantidade que necessita de selénio.

O elemento selénio foi descoberto em 1817, e recebeu o nome da deusa da lua grega Selene. Passados 200 anos, os investigadores ainda não exploraram plenamente o potencial deste oligoelemento. O selénio atua em quase todas as partes do corpo humano - no nosso sistema imunitário, no sistema nervoso, nos músculos e na tiroide. Ter uma deficiência de selénio afeta negativamente o corpo, tanto fisicamente como psicologicamente. Mas possuir selénio em demasia também não é saudável e pode até mesmo ser fatal.  

Neste artigo, aprenderá que alimentos pode comer para satisfazer as suas necessidades diárias de selénio e que sintomas indicam que possui uma deficiência ou excesso de selénio. Também: porque as preparações de selénio podem ser prejudiciais para a sua saúde.

O que é o selénio?

O selénio é um oligoelemento essencial, o que significa: ele só consegue ser absorvido através de alimentos e só necessita de uma pequena quantidade dele. O corpo humano armazena 13 a 30 miligramas de selénio. A maior parte dele é depositada nos músculos e na glândula da tiroide.[1].

É bom saber: quando se queima um metal contendo selénio, é expelido um cheiro semelhante a um rabanete[2].

Como é que o selénio funciona?

O selénio forma proteínas importantes, que fortalecem o sistema imunitário e impedem que ocorram danos celulares. Reforça a ação da Vitamina E  e da Vitamina C como vitaminas de defesa. Juntamente com o iodo, o selénio produz hormonas da tiroide que impulsionam a produção de espermatozoides e mantêm o funcionamento do sistema nervoso. Sem selénio, o fígado e o pâncreas não seria capaz de efetuar as suas funções digestivas e de açúcar no sangue.[3, 4].

O selénio e os metais pesados: o selénio pode ajudar o corpo a ligar-se ao metal pesado  chumbo. Um metal pesado nessa forma deixa de poder causar danos ao corpo e pode ser mais facilmente excretado.[5].

Qual é a dose diária recomendada de selénio?

De acordo com as recomendações da Sociedade Alemã de Nutrição, um homem adulto deve consumir 70 microgramas de selénio por dia. Já uma mulher necessita de 60 microgramas. As mulheres que amamentam têm uma necessidade acrescida de 75 microgramas para poderem facultar selénio suficiente à sua criança através do leite materno[6].

Que alimentos contêm selénio?

As castanhas do Brasil são radioativas?

Tanto alimentos de origem animal como vegetal facultam selénio ao corpo. A quantidade de selénio contida em alimentos vegetais também depende de onde os mesmos foram cultivados e de quão rico o solo é em selénio. Nenhum alimento contem tanto o selénio quanto o côco e a castanha do Brasil. Só uma castanha do Brasil pode suprir as suas necessidades diárias de selénio [7].

Outros alimentos ricos em selénio são[8]:

Alimentos

Microgramas por 100 gramas

Atum

82

Farelo de trigo

60 a 130

Ovo

20

Couve-de-bruxelas

18

Feijão Branco

14

Queijo Suíço

11

 

Deficiência em selénio

O solo Europeu ao longo dos anos perdeu bastante selénio. Supostamente são as alterações climáticas a culpa disso, pois devido a esse fenómeno ocorrem condições meteorológicas extremas. O resultado: a chuva intensa arrasta o selénio para fora do solo, e os períodos secos prolongados também reduzem o conteúdo de selénio. Se há muito pouco selénio no solo, então ele não consegue acumular-se suficientemente nas plantas, fazendo com que as mesmas sejam menos ricas em selénio.[9, 10]. O último estudo acerca de quanto selénio as pessoas consomem foi efetuado em 1996 na Alemanha. Os alemães absorvem uma média de 40 microgramas de selénio por dia - uma quantidade menor do que o recomendado pelas associações de saúde profissionais[11].

É bom saber que: o solo com o teor de selénio mais elevado encontra-se no Nebrasca, nos EUA. O solo da China, por outro lado, tem uma baixa quantidade de selénio.[1].

Deficiência em Selénio - Grupos de risco

Para além das pessoas que têm uma dieta baixa em selénio, pode ocorrer uma deficiência nos seguintes grupos[12, 13]:

  • Fumadores
  • Alcoólicos
  • Mulheres que amamentam durante períodos prolongados
  • Pessoas que padecem de doenças intestinais - o selénio deixa de conseguir entrar na corrente sanguínea
  • Pacientes a fazer diálise - é perdido imenso selénio durante a purificação do sangue

As 6 melhores fontes de selénio

Que sintomas surgem no caso duma deficiência de selénio?

Como o selénio atua em quase todas a partes do corpo, uma deficiência pode conduzir a diversos sintomas[11, 14]:

 

Queixas gerais

Fadiga

Fraqueza muscular e dor articular

Imunodeficiência

Afetação da produção de espermatozoides

Queixas psicológicas

Ansiedade

Depressão e alterações de humor

Queixas com sintomas

Doenças da glândula tiroide e do músculo cardíaco

Doenças hepáticas

 

Preparações de selénio

270 de 1073 pessoas, ou seja, cerca de uma pessoa em cada quatro, afirmaram num inquérito acerca de suplementos dietéticos, que estavam a tomar preparações de selénio. Os suplementos certos podem ajudar a otimizar a sua ingestão de selénio - mas há alguns aspetos a ter em consideração[15].

Quais são os melhores comprimidos de selénio?

Uma boa preparação de selénio deve conter selenometionina. O corpo pode absorver 90 por cento deste composto de selénio. Outros compostos de selénio, como o selenito de sódio ou selenato de sódio, só conseguem ser absorvidos parcialmente.[1].

Quanto selénio devo consumir através de suplementos alimentares?

De acordo com o Instituto de Avaliação de Riscos Federal Alemão , o consumo de selénio diário através de suplementos dietéticos não deve exceder 45 miligramas  de selénio[9].

Os comprimidos de selénio podem causar efeitos secundários?

O selénio só é benéfico para a sua saúde quando tomado na quantidade certa. Portanto, uma ingestão diária de mais de 300 microgramas de selénio através de suplementos dietéticos pode conduzir a problemas de saúde[12, 16]:

  • Fadiga
  • Perda de cabelo, descoloração da pele
  • Náuseas, vómitos, diarreia
  • Mau hálito (hálito de alho)
  • Perturbações da função motora

Quando há um excesso de selénio durante um longo período de tempo, pode aumentar o risco de diabetes do tipo 2 e até mesmo o cancro de próstata[3].

Ingestão de selénio e de vitamina E

O selénio e a vitamina E fortalecem-se mutuamente um ao outro. Na Internet, encontrará frequentemente recomendações que exigem a ingestão simultânea de ambos os nutrientes. No entanto, a Sociedade de Endocrinologia Alemã adverte contra a utilização de preparações de Selénio e Vitamina E: caso haja uma deficiência de selénio não detetada, a ingestão adicional de vitamina E pode fazer aumentar o risco de cancro da próstata nos homens. A utilização de tais preparações combinadas só deve ocorrer após ter sido recomendada por um médico. Num estudo publicado na revista do Instituto Nacional de Cancro Alemão, os investigadores observaram que o risco aumentava 111 por cento [17-19].

.

Selénio e Zinco: Não se sabe se o selénio e zinco deven ser tomados ao mesmo tempo. Num estudo que envolvia ratos, os investigadores foram capazes de observar um efeito negativo na próstata na toma de selénio e zinco ao mesmo tempo.[20].

Teste de selénio

Pode determinar se possui selénio em quantidade suficiente, através de uma amostra de sangue. Se suspeita duma intoxicação de selénio, pode tirar as dúvidas com uma amostra de urina. Os investigadores também estão a tentar determinar o estado de selénio através de análises de cabelo e unhas. Atualmente estes métodos são considerados inapropriados porque os resultados variam demasiado [21].

.

O Teste de Deficiência em Sais Minerais Cerascreen®

Com um autoteste como o Teste de Deficiência em Sais Minerais cerascreen®, pode determinar o seu nível de selénio com uma pequena quantidade de sangue de ponta do seu dedo. Após a análise laboratorial, receberá um relatório do resultado com os seus valores de selénio, de zinco e de magnésio assim como recomendações individuais para melhorar os seus valores.

O selénio e a tiroide

A tiroide não conseguiria funcionar corretamente sem selénio. A toma de selénio adicional pode ajudar no tratamento de problemas da tiroide?

O selénio ajuda no tratamento de problemas da tiroide?

Ainda não está claro se o selénio é eficaz contra os problemas da tiroide, como a tiroidite de Hashimoto. Num estudo, houve mulheres grávidas que utilizaram selénio, que teve um efeito positivo no hipotiroidismo e na tiroidite de Hashimoto após o nascimento. As pessoas com orbitopatia endócrina também podem melhorar os seus sintomas com suplementos de selénio[22-24].

Orbitopatia endócrina: nesta doença, os globos oculares ficam bastante salientes. A causa é uma reação autoimune: o sistema imunitário ataca o corpo, neste caso o tecido do globo ocular. Muitas das pessoas que padecem desta doença também sofrem de hipertiroidismo.[25]

 

Um olhar breve: Selénio

O que é o selénio?

O selénio é um oligoelemento essencial que é armazenado essencialmente nos músculos e na glândula tiroide.

Quais são as funções do selénio?

Este oligoelemento auxilia o funcionamento imunitário e da tiroide assim como a fertilidade masculina.

Qual é a dose diária recomendada?

Os homens devem consumir 70 microgramas de selénio por dia e as mulheres 60 microgramas. Pode satisfazer as suas necessidades diárias de selénio com apenas uma castanha do Brasil.

Quais são os sintomas da deficiência de selénio?

Os possíveis sintomas de deficiência de selénio incluem fadiga, depressão, aumento da suscetibilidade a infeções e problemas da tiroide.

Quais são as melhores preparações de selénio?

As preparações contendo o composto selenometionina são melhor absorvidas pelo corpo. Não use uma combinação de selénio e vitamina E pois a vitamina E pode fazer aumentar o risco de cancro da próstata se não tiver sido detetada uma deficiência de selénio. O risco de cancro também pode aumentar se tomar suplementos de selénio adicionais com um nível suficiente de selénio. A intoxicação por selénio pode conduzir ao mau hálito, perda de cabelo e a pele amarela.

  

Fontes

  1. What is Selenium? | American Nutrition Association, http://americannutritionassociation.org/newsletter/what-selenium
  2. Chemistry International -- Newsmagazine for IUPAC, https://www.iupac.org/publications/ci/2011/3305/5_trofast.html
  3. Rayman, M.P.: The importance of selenium to human health. Lancet. 356, 233–241 (2000). doi:10.1016/S0140-6736(00)02490-9
  4. Elmadfa, I.: Ernährungslehre. Verlag Eugen Ulmer Stuttgart (2015)
  5. Bjørklund, G.: Selenium as an antidote in the treatment of mercury intoxication. Biometals. 28, 605–614 (2015). doi:10.1007/s10534-015-9857-5
  6. Selen, https://www.dge.de/wissenschaft/referenzwerte/selen/
  7. Paranuss - Lebensmittel-Warenkunde, https://lebensmittel-warenkunde.de/lebensmittel/fette-oele/samen-nuesse/paranuss.html
  8. Lebensmittel | DocMedicus Vitalstofflexikon, http://www.vitalstoff-lexikon.de/Spurenelemente/Selen/Lebensmittel.html
  9. Selen - ein guter Schutz für unseren Körper, https://www.verbraucherzentrale.de/wissen/lebensmittel/nahrungsergaenzungsmittel/selen-ein-guter-schutz-fuer-unseren-koerper-17732
  10. Selenmangel nimmt zu: Klimawandel hat Einfluss auf unser Essen, https://www.bzfe.de/inhalt/selenmangel-nimmt-zu-29778.html
  11. Ausgewählte Fragen und Antworten zu Selen, https://www.dge.de/wissenschaft/weitere-publikationen/faqs/selen/
  12. Die ganze Welt der Vitamine, Mineralstoffe und Enzyme. garant Verlag GmbH, Renningen (2016)
  13. Selen und Human-Biomitoring Stellungnahme der Kommission „Human-Biomonitoring“ des Umweltbundesamtes, https://www.umweltbundesamt.de/sites/default/files/medien/377/dokumente/selen.pdf
  14. Benton, D., Cook, R.: The impact of selenium supplementation on mood. Biol. Psychiatry. 29, 1092–1098 (1991)
  15. Nahrungsergänzungsmittel, https://www.bzfe.de/inhalt/pressemeldung-7874.html
  16. Barceloux, D.G.: Selenium. J. Toxicol. Clin. Toxicol. 37, 145–172 (1999)
  17. Selen und Vitamin E nur bei Mangel, https://www.deutsche-apotheker-zeitung.de/news/artikel/2014/05/02/selen-und-vitamin-e-nur-bei-mangel
  18. Selen und Vitamin E, https://www.bzfe.de/inhalt/pressemeldung-7020.html
  19. Selenium and Vitamin E Cancer Prevention Trial (SELECT): Questions and Answers, https://www.cancer.gov/types/prostate/research/select-trial-results-qa
  20. Daragó, A., Sapota, A., Nasiadek, M., Klimczak, M., Kilanowicz, A.: The Effect of Zinc and Selenium Supplementation Mode on Their Bioavailability in the Rat Prostate. Should Administration Be Joint or Separate? Nutrients. 8, (2016). doi:10.3390/nu8100601
  21. Problematik, Klinik und Beispiele der Spurenelementvergiftung - Selen, https://www.gtfch.org/cms/images/stories/media/tk/tk79_1/mueller1.pdf
  22. van Zuuren, E.J., Albusta, A.Y., Fedorowicz, Z., Carter, B., Pijl, H.: Selenium supplementation for Hashimoto’s thyroiditis. Cochrane Database Syst Rev. CD010223 (2013). doi:10.1002/14651858.CD010223.pub2
  23. Ventura, M., Melo, M., Carrilho, F.: Selenium and Thyroid Disease: From Pathophysiology to Treatment. Int J Endocrinol. 2017, (2017). doi:10.1155/2017/1297658
  24. Drutel, A., Archambeaud, F., Caron, P.: Selenium and the thyroid gland: more good news for clinicians. Clin. Endocrinol. (Oxf). 78, 155–164 (2013). doi:10.1111/cen.12066
  25. Pschyrembel Online | endokrine Orbitopathie, https://www.pschyrembel.de/endokrine%20Orbitopathie/K0FR6/doc/